O Projecto – Rota Ingoré

Expedição à Guiné-Bissau   2011
Ingoré (Zona da Guiné-Bissau objectivo da expedição)

Introdução:

Em Setembro de 2000, os líderes mundiais reuniram-se  para a Cimeira do Milénio nas Nações Unidas e estabeleceram Oito Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODMs). Lisboa, em 2006, foi a anfitriã da Conferencia Europeia “8 Caminhos para mudar o Mundo” que devem ser atingidos até  2015. Eis os 8 Objectivos:

  1. Erradicar a fome e a pobreza extremas
  2. Completar a educação primária a nível universal
  3. Promover a igualdade dos géneros e implementar o poder das mulheres
  4. Reduzir a taxa de mortalidade infantil
  5. Desenvolver os cuidados de saúde maternos
  6. Combater o Hiv/Sida, a malária e outras doenças
  7. Assegurar a sustentabilidade ambiental
  8. Desenvolver uma parceria global para o desenvolvimento

Estes objectivos recobrem muitos daqueles que o evento Latitude Zero – Equatorial Challenge se propôs nas suas anteriores edições.

…  a grande bandeira do Rota Ingoré é, em coerência com a filosofia habitual, o transporte – a médio prazo – de uma escola pré-fabricada e respectivo equipamento… 

575x350_mapa_LZRI-laranja
1. Objectivos da Rota Ingoré:
Percorrer a Guiné-Bissau, de Norte a Sul, visitando pequenas aldeolas isoladas onde existam missões religiosas, ou não, constituídas por voluntários portugueses.

Visamos:

  • Contribuir para a promoção da Língua Portuguesa, como factor de união entre todos os povos da CPLP: serão ofertados pequenos conjuntos de livros de instrução primária.
  • Dar visibilidade ao ignorado esforço destas populações pelo progresso económico, social e cultural.
  • Dar testemunho do contributo de Portugal para o diálogo entre culturas, em zona de intensíssimo contacto com a África francófona.
  • Contribuir para a promoção da mulher Guineense, em projectos de desenvolvimento local integrado, sendo portadores de apoios à agricultura – sementes, agro – químicos, instrumentos e ferramentas agrícolas e manuais básicos de agricultura.
  • Realizar a expedição com um balanço nulo de emissões de CO2. As sementes transportadas permitirão a promoção da agricultura local e simultaneamente a absorção de CO2 emitido.
  • Por último, contribuir para a divulgação do trabalho de voluntariado, realizado por tantos e tantos portugueses, junto destas populações desfavorecidas.

2.  O percurso:
Bissau – Canchungo – Ilha de Pecixe – S. Domingos – Ingoré – Bafatá – Bambadinca – Gabú – Boé – Catió – Tombali – Quinhamel – Bissau.

3.  Contingências

  1.  Zonas de conflito e tensão (Casamansa) a norte da Guiné-Bissau.
  2. Instabilidade política

alt

Faça “download” da Brochura do Projecto  (PDF 459 KB)